terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Receitaram-me o DUOGEN, o que acha?


Pergunta que me fazem com frequência:
O médico receitou-me Duagen para tratar a próstata que está aumentada, o que acha?

Resposta:​


Como especialista no tratamento da HPB​ pela Medicina Nutricional Terapêutica, tenho a dizer-lhe que o Duagen (ou qualquer outro químico/ fármaco semelhante normalmente receitado para este fim, tais como Duomo, Proscar, Avodart, Urorec, Unoprost, Omnic, etc) não é a melhor opção. Esta é a minha opinião!
​ 
Há outras atitudes a tomar antes de partir logo para os químicos!​


Por iss​o,​ vou explicar-lhe porque não basta dizer só que não está bem:
 - O Duagen é um fármaco (composto por dutasterida, um produto QUÍMICO SINTÉTICO) que não trata convenientemente, apenas vai eliminar os sintomas e causando muitos efeitos secundários adversos na masculinidade e virilidade que qualquer homem não gosta:
- Diminuição da libido
- Impotência sexual, disfunção eretil
- Diminuição do volume do esperma
- Terá de usar camisinha para não contaminar a sua parceira com este químico.
- Pode causar ginecomastia (aumento da mamas nos homens)

Para não achar que é invenção minha, retirei da bula do Duagen, onde

​se ​
pode ler:

«Efeitos secundários frequentes​:​
-I​ncapacidade de obter ou manter uma ereção (impotência)
​ ​
que pode continuar após parar de tomar Duagen 
-D​esejo sexual (libido) diminuído que pode continuar após parar de tomar Duagen 
-D​ificuldade na ejaculação que pode continuar após parar de tomar Duagen 
-A​umento do volume mamário (ginecomastia) ou hipersensibilidade dolorosa da mama tonturas quando tomado com tansulosina. 

Efeitos secundários pouco frequentes : 
- falência do coração (o coração torna-se menos eficiente a bombear o sangue por todo o corpo.) 
- Poderá sentir sintomas como falta de ar, cansaço extremo e pernas e tornozelos inchados 
- Perda de pelo (geralmente do corpo) ou crescimento de pelo.  »

Aposto que o seu médico não lhe contou nada 
sobre estes efeitos colaterais, não foi?   

Concluindo, indico sempre como 1ª opção ( muito antes de começar como os químicos/ fármacos) o tratamento natural com um bom suplemento nutricional para esse fim, como é o “SSP3-Forte”.

Eis as ENORMES diferenças para o SSP3-Forte:

1ª Trata com eficácia​ a HPB (próstata aumentada)​, por que vai à causa do problema e não aos sintomas (que são apenas as consequências)
2ª Sem contra-indicações
3ª Se efeitos colaterais negativos
4ª Sem químicos sintéticos na sua fórmula
5ª Após 90 dias de toma seguida, as melhoras já são sentidas.

​...​Mas a decisão final
​ 
é sempre sua.


Saiba o que os utilizadores dizem do SSP3-Forte, publicado na Internet, clique neste link:

...e os Inquéritos Clínicos aos próprios utilizadores, aqui neste link:







Se precisar, pode comprar o SSP3-forte no site internacionawww.ssp3forte.com 
ou, se vive no Brasil
no site  http://naturalfarma.webnode.com.br/ ou fazendo o pedido diretamente para este email leptix@gmail.com (email dos clientes que falam a Língua Portuguesa), onde não terá de pagar taxas nem comissões dos cartões.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Estou tomando Dutasterida, posso tomar SSP3-Forte?


Nome: Rosa Maria
Assunto: Próstata Aumentada, Resolva com o Ssp3-forte
Mensagem: 
Moro no Brasil.
Gostaria de saber se quem faz tratamento convencional para para HBP (dudasterida) pode tomar junto com o ssp3 forte.

Esta mensagem foi enviada do produto Próstata Aumentada, Resolva com o Ssp3-forte



Resposta:


Bom dia D. Rosa

Poder, pode. Mas seria muito melhor tomar só o SSP3-Forte, porque a Dutasterida tem muitos efeitos secundários negativos para a masculinidade e virilidade do homem ( por exemplo, causa a diminuição do apetite sexual, causa impotência e até pode desenvolver as mamas nos homens); leia a bula.
O SSP3-forte não faz nada disto e trata com muita eficácia e naturalmente.

Com um sucesso superior a 90%, o melhor remédio natural para a HPB é um Suplemento Nutricional Fitoterápico "SSP3-Forte".
Sem efeitos colaterais negativos e sem contra-indicação, o que não acontece com os fármacos normalmente receitados.

​​O SSP3-forte substitui com grande eficácia qualquer fármaco (droga medicamentosa química sintética) normalmente receitado. ​ Experimente por 90 dias seguidos e irá sentir a grande diferença na sua Masculinidade e na sua Virilidade.

Para saber sobre a bula do SSP3-Forte, está tudo publicado na Internet neste link:


Saiba o que os utilizadores dizem do SSP3-Forte, publicado na Internet, clique neste link:
...e os Inquéritos Clínicos aos próprios utilizadores, aqui neste link:



Cumprimentos
Pedro Reynolds
Medicina Nutricional Terapêutica





sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Próstata aumentada (HPB), sintomas de Alerta:


Principais sintomas para a HBP, Prostatite:


  • Problemas urinários.
  • Incapacidade de urinar, ou dificuldade em iniciar ou parar o fluxo de urina.
  • Necessidade frequente de urinar, principalmente à noite.
  • Fluxo de urina fraco ou intermitente.
  • Dor ou ardor durante a micção.
  • Dificuldade em ter uma ereção.
  • Sangue na urina ou no sémen.
  • Dor frequente na zona inferior das costas, nas ancas ou na zona superior das coxas.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Exercite o seu corpo ... e sua Próstata; mais Atividade Sexual! Tudo Melhora!


Exercício é outro fator importante para a saúde da próstata. Você precisa de exercício, especialmente à medida que envelhece.


Além disto, ter atividade sexual numa base regular, que envolve o exercício a sua próstata.
Isto é, por vezes, uma coisa difícil de falar ... [e] em pessoas mais velhas [pode] se tornar um problema devido à falta de parceiro. Mas é algo que todo homem deve pensar.
A atividade sexual deve ser regular para ajudar a manter a próstata saudável. Não importa qual seja sua idade. No mínimo 1 a 3 vezes por semana. Provavelmente, duas vezes por semana para os idosos. 
Uma das razões pelas quais a atividade sexual regular promove a saúde no homem é que exercita a próstata. Quando um homem não tem actividade sexual regular, o esperma e outros fluidos são reabsorvidos pelo seu corpo. Eventualmente, com a continuidade, isso pode vir a causar certos problemas imunológicos.

Recomendações Dietéticas para a Saúde da Próstata

A dieta é outro fator que pode ser de grande impacto na saúde da próstata. Você deve comer alimentos (de preferência crus) orgânicos quanto possível. Alimentos que suportam a saúde da (sua) próstata incluem vegetais e frutas ricas em vitaminas, caroténoides e Licopeno (nos frutos de cor vermelha).
Um estudo de 2009 identificou os seguintes alimentos como sendo especialmente benéficos contra o câncer de próstata:
• Romã, Tomates e outros Frutos Vermelhos
• Leguminosas
• Hortaliças
• O chá verde
Deve-se limitar os carboidratos como o açúcar (sacarose), a frutose, grãos ( e derivados), tanto quanto possível, a fim de manter os níveis de insulina ideais, para ajudar a reduzir o risco de doenças cancerosas em geral.
Carnes altamente processadas, enchidos, alimentos defumados, presuntos, carne de porco, carnes vermelhas, álcool, café (em demasia), refrigerantes, leite e outros produtos lácteos pasteurizados e gorduras Trans correlacionam-se com um aumento do risco de doença cancerosa na próstata e, também, devem ser evitados.
Tenha também em atenção que, há medicamentos ( efeitos colaterais) que prejudicam a próstata, como os anti-depressivos, diuréticos, anti-histamínicos, calmantes, medicamentos para hipertensão, para dormir, para o Colesterol, para a Diabetes, etc. (leia as bulas)

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Tenho tomado o remédio Combodart



Pergunta sobre informações do SSP3-Forte


Por informações de pessoas a respeito dessa medicação, gostaria de obter informações e também para adquirir o remédio, pois estou com problema hiperplasia prostática, tenho tomado o remedio Combodart, mas, não tenho tido uma melhoria satisfatória, o sintoma se referem a ir com frequência ao banheiro, jato urinário fraco, sinto que a bexica não esvazia por completo.
Isto posto, queria saber se essa medicação seria correto para o meu problema, também o valor e o período para a medicação.
No aguardo de vosso contato,  agradeço antecipadamente.

Nelson T.
Mogi das Cruzes-SP-Brasil



Resposta:


Bom dia sr N.T.

O Combodart é um fármaco ( composto por 2 químicos sintéticos, a Dutasterida e a Tansulosina) que apenas ajuda a aliviar os sintomas mas não trata convenientemente a HPB. Além disto, tem muitos efeitos colaterais secundários desagradáveis para a sua masculinidade e virilidade tais como:
  • impotência (incapacidade de obter ou manter uma ereção) 
  • desejo sexual (libido) diminuído 
  • dificuldade na ejaculação 
  • aumento do volume mamário ou dor (ginecomastia) 
  • tonturas
  • e outros... Aconselho a ler a bula para saber o que está introduzindo no seu corpo.

Mas todos os médicos receitam este tipo de químicos ( industria farmacêutica é poderosa) mas nunca avisam para estes problemas secundários.

SSP3-Forte é natural e é o método normal de tratamento para a sua próstata. Não é nada de químico sintético, por isto, não tem contra-indicação nem efeitos colaterais negativos. SSP3-Forte é um fitoterápico natural.



Saiba o que os utilizadores dizem do SSP3-Forte, publicado na Internet, clique neste link:

...e os Inquéritos Clínicos aos próprios utilizadores, aqui neste link:

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Porque se ignoram os Remédios Naturais

"As farmacêuticas bloqueiam medicamentos que curam, porque não são rentáveis"

O Prémio Nobel da Medicina Richard J. Roberts denuncia a forma como funcionam as grandes farmacêuticas dentro do sistema capitalista, preferindo os benefícios económicos à saúde, e detendo o progresso científico na cura de doenças, porque a cura não é tão rentável quanto a cronicidade.
Há poucos dias, foi revelado que as grandes empresas farmacêuticas dos EUA gastam centenas de milhões de dólares por ano em pagamentos a médicos que promovam os seus medicamentos. Para complementar, reproduzimos esta entrevista com o Prémio Nobel Richard J. Roberts, que diz que os medicamentos que curam não são rentáveis e, portanto, não são desenvolvidos por empresas farmacêuticas que, em troca, desenvolvem medicamentos cronificadores que sejam consumidos de forma serializada. Isto, diz Roberts, faz também com que alguns medicamentos que poderiam curar uma doença não sejam investigados. E pergunta-se até que ponto é válido e ético que a indústria da saúde se reja pelos mesmos valores e princípios que o mercado capitalista, que chega a assemelhar-se ao da máfia.
A investigação pode ser planeada?
Se eu fosse Ministro da Saúde ou o responsável pelas Ciência e Tecnologia, iria procurar pessoas entusiastas com projectos interessantes; dar-lhes-ia dinheiro para que não tivessem de fazer outra coisa que não fosse investigar e deixá-los-ia trabalhar dez anos para que nos pudessem surpreender.
Parece uma boa política.
Acredita-se que, para ir muito longe, temos de apoiar a pesquisa básica, mas se quisermos resultados mais imediatos e lucrativos, devemos apostar na aplicada ...
E não é assim?
Muitas vezes as descobertas mais rentáveis foram feitas a partir de perguntas muito básicas. Assim nasceu a gigantesca e bilionária indústria de biotecnologia dos EUA, para a qual eu trabalho.

Como nasceu?
A biotecnologia surgiu quando pessoas apaixonadas começaram a perguntar-se se poderiam clonar genes e começaram a estudá-los e a tentar purificá-los.
Uma aventura.
Sim, mas ninguém esperava ficar rico com essas questões. Foi difícil conseguir financiamento para investigar as respostas, até que Nixon lançou a guerra contra o cancro em 1971.
Foi cientificamente produtivo?
Permitiu, com uma enorme quantidade de fundos públicos, muita investigação, como a minha, que não trabalha directamente contra o cancro, mas que foi útil para compreender os mecanismos que permitem a vida.
O que descobriu?
Eu e o Phillip Allen Sharp fomos recompensados pela descoberta de introns no DNA eucariótico e o mecanismo de gen splicing (manipulação genética).
Para que serviu?
Essa descoberta ajudou a entender como funciona o DNA e, no entanto, tem apenas uma relação indirecta com o cancro.

Que modelo de investigação lhe parece mais eficaz, o norte-americano ou o europeu?
É óbvio que o dos EUA, em que o capital privado é activo, é muito mais eficiente. Tomemos por exemplo o progresso espectacular da indústria informática, em que o dinheiro privado financia a investigação básica e aplicada. Mas quanto à indústria de saúde... Eu tenho as minhas reservas.
Entendo.
A investigação sobre a saúde humana não pode depender apenas da sua rentabilidade. O que é bom para os dividendos das empresas nem sempre é bom para as pessoas.
Explique.
A indústria farmacêutica quer servir os mercados de capitais ...
Como qualquer outra indústria.
É que não é qualquer outra indústria: nós estamos a falar sobre a nossa saúde e as nossas vidas e as dos nossos filhos e as de milhões de seres humanos.
Mas se eles são rentáveis investigarão melhor.
Se só pensar em lucros, deixa de se preocupar com servir os seres humanos.

Por exemplo...
Eu verifiquei a forma como, em alguns casos, os investigadores dependentes de fundos privados descobriram medicamentos muito eficazes que teriam acabado completamente com uma doença ...
E por que pararam de investigar?
Porque as empresas farmacêuticas muitas vezes não estão tão interessadas em curar as pessoas como em sacar-lhes dinheiro e, por isso, a investigação, de repente, é desviada para a descoberta de medicamentos que não curam totalmente, mas que tornam crónica a doença e fazem sentir uma melhoria que desaparece quando se deixa de tomar a medicação.
É uma acusação grave.
Mas é habitual que as farmacêuticas estejam interessadas em linhas de investigação não para curar, mas sim para tornar crónicas as doenças com medicamentos cronificadores muito mais rentáveis que os que curam de uma vez por todas. E não tem de fazer mais que seguir a análise financeira da indústria farmacêutica para comprovar o que eu digo.
Há dividendos que matam.
É por isso que lhe dizia que a saúde não pode ser um mercado nem pode ser vista apenas como um meio para ganhar dinheiro. E, por isso, acho que o modelo europeu misto de capitais públicos e privados dificulta esse tipo de abusos.
Um exemplo de tais abusos?
Deixou de se investigar antibióticos por serem demasiado eficazes e curarem completamente. Como não se têm desenvolvido novos antibióticos, os microorganismos infecciosos tornaram-se resistentes e hoje a tuberculose, que foi derrotada na minha infância, está a surgir novamente e, no ano passado, matou um milhão de pessoas.
Não fala sobre o Terceiro Mundo?
Esse é outro capítulo triste: quase não se investigam as doenças do Terceiro Mundo, porque os medicamentos que as combateriam não seriam rentáveis. Mas eu estou a falar sobre o nosso Primeiro Mundo: o medicamento que cura tudo não é rentável e, portanto, não é investigado.
Os políticos não intervêm?
Não tenho ilusões: no nosso sistema, os políticos são meros funcionários dos grandes capitais, que investem o que for preciso para que os seus boys sejam eleitos e, se não forem, compram os eleitos.

Há de tudo.
Ao capital só interessa multiplicar-se. Quase todos os políticos, e eu sei do que falo, dependem descaradamente dessas multinacionais farmacêuticas que financiam as campanhas deles. O resto são palavras…
18 de Junho, 2011
Publicado originalmente no La Vanguardia.


terça-feira, 14 de abril de 2015