sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Porque se ignoram os Remédios Naturais

"As farmacêuticas bloqueiam medicamentos que curam, porque não são rentáveis"

O Prémio Nobel da Medicina Richard J. Roberts denuncia a forma como funcionam as grandes farmacêuticas dentro do sistema capitalista, preferindo os benefícios económicos à saúde, e detendo o progresso científico na cura de doenças, porque a cura não é tão rentável quanto a cronicidade.
Há poucos dias, foi revelado que as grandes empresas farmacêuticas dos EUA gastam centenas de milhões de dólares por ano em pagamentos a médicos que promovam os seus medicamentos. Para complementar, reproduzimos esta entrevista com o Prémio Nobel Richard J. Roberts, que diz que os medicamentos que curam não são rentáveis e, portanto, não são desenvolvidos por empresas farmacêuticas que, em troca, desenvolvem medicamentos cronificadores que sejam consumidos de forma serializada. Isto, diz Roberts, faz também com que alguns medicamentos que poderiam curar uma doença não sejam investigados. E pergunta-se até que ponto é válido e ético que a indústria da saúde se reja pelos mesmos valores e princípios que o mercado capitalista, que chega a assemelhar-se ao da máfia.
A investigação pode ser planeada?
Se eu fosse Ministro da Saúde ou o responsável pelas Ciência e Tecnologia, iria procurar pessoas entusiastas com projectos interessantes; dar-lhes-ia dinheiro para que não tivessem de fazer outra coisa que não fosse investigar e deixá-los-ia trabalhar dez anos para que nos pudessem surpreender.
Parece uma boa política.
Acredita-se que, para ir muito longe, temos de apoiar a pesquisa básica, mas se quisermos resultados mais imediatos e lucrativos, devemos apostar na aplicada ...
E não é assim?
Muitas vezes as descobertas mais rentáveis foram feitas a partir de perguntas muito básicas. Assim nasceu a gigantesca e bilionária indústria de biotecnologia dos EUA, para a qual eu trabalho.

Como nasceu?
A biotecnologia surgiu quando pessoas apaixonadas começaram a perguntar-se se poderiam clonar genes e começaram a estudá-los e a tentar purificá-los.
Uma aventura.
Sim, mas ninguém esperava ficar rico com essas questões. Foi difícil conseguir financiamento para investigar as respostas, até que Nixon lançou a guerra contra o cancro em 1971.
Foi cientificamente produtivo?
Permitiu, com uma enorme quantidade de fundos públicos, muita investigação, como a minha, que não trabalha directamente contra o cancro, mas que foi útil para compreender os mecanismos que permitem a vida.
O que descobriu?
Eu e o Phillip Allen Sharp fomos recompensados pela descoberta de introns no DNA eucariótico e o mecanismo de gen splicing (manipulação genética).
Para que serviu?
Essa descoberta ajudou a entender como funciona o DNA e, no entanto, tem apenas uma relação indirecta com o cancro.

Que modelo de investigação lhe parece mais eficaz, o norte-americano ou o europeu?
É óbvio que o dos EUA, em que o capital privado é activo, é muito mais eficiente. Tomemos por exemplo o progresso espectacular da indústria informática, em que o dinheiro privado financia a investigação básica e aplicada. Mas quanto à indústria de saúde... Eu tenho as minhas reservas.
Entendo.
A investigação sobre a saúde humana não pode depender apenas da sua rentabilidade. O que é bom para os dividendos das empresas nem sempre é bom para as pessoas.
Explique.
A indústria farmacêutica quer servir os mercados de capitais ...
Como qualquer outra indústria.
É que não é qualquer outra indústria: nós estamos a falar sobre a nossa saúde e as nossas vidas e as dos nossos filhos e as de milhões de seres humanos.
Mas se eles são rentáveis investigarão melhor.
Se só pensar em lucros, deixa de se preocupar com servir os seres humanos.

Por exemplo...
Eu verifiquei a forma como, em alguns casos, os investigadores dependentes de fundos privados descobriram medicamentos muito eficazes que teriam acabado completamente com uma doença ...
E por que pararam de investigar?
Porque as empresas farmacêuticas muitas vezes não estão tão interessadas em curar as pessoas como em sacar-lhes dinheiro e, por isso, a investigação, de repente, é desviada para a descoberta de medicamentos que não curam totalmente, mas que tornam crónica a doença e fazem sentir uma melhoria que desaparece quando se deixa de tomar a medicação.
É uma acusação grave.
Mas é habitual que as farmacêuticas estejam interessadas em linhas de investigação não para curar, mas sim para tornar crónicas as doenças com medicamentos cronificadores muito mais rentáveis que os que curam de uma vez por todas. E não tem de fazer mais que seguir a análise financeira da indústria farmacêutica para comprovar o que eu digo.
Há dividendos que matam.
É por isso que lhe dizia que a saúde não pode ser um mercado nem pode ser vista apenas como um meio para ganhar dinheiro. E, por isso, acho que o modelo europeu misto de capitais públicos e privados dificulta esse tipo de abusos.
Um exemplo de tais abusos?
Deixou de se investigar antibióticos por serem demasiado eficazes e curarem completamente. Como não se têm desenvolvido novos antibióticos, os microorganismos infecciosos tornaram-se resistentes e hoje a tuberculose, que foi derrotada na minha infância, está a surgir novamente e, no ano passado, matou um milhão de pessoas.
Não fala sobre o Terceiro Mundo?
Esse é outro capítulo triste: quase não se investigam as doenças do Terceiro Mundo, porque os medicamentos que as combateriam não seriam rentáveis. Mas eu estou a falar sobre o nosso Primeiro Mundo: o medicamento que cura tudo não é rentável e, portanto, não é investigado.
Os políticos não intervêm?
Não tenho ilusões: no nosso sistema, os políticos são meros funcionários dos grandes capitais, que investem o que for preciso para que os seus boys sejam eleitos e, se não forem, compram os eleitos.

Há de tudo.
Ao capital só interessa multiplicar-se. Quase todos os políticos, e eu sei do que falo, dependem descaradamente dessas multinacionais farmacêuticas que financiam as campanhas deles. O resto são palavras…
18 de Junho, 2011
Publicado originalmente no La Vanguardia.


terça-feira, 14 de abril de 2015

quarta-feira, 4 de março de 2015

Complicações de Biopsia Prostática


COMPLICAÇÕES DE BIOPSIA PROSTÁTICA
TRANSRETAL GUIADA POR ULTRASSONOGRAFIA: ESTUDO RETROSPECTIVO

Excertos importantes deste estudo feito por especialistas na área de Cirurgia Geral.


Título: Complicações de biopsia prostática transretal guiada por ultrassonografia: estudo retrospectivo. [TCC]. São Paulo: Hospital do Servidor Público Municipal; 2011

Introdução: O uso da biópsia de próstata aumentou significativamente com a utilização do teste de PSA para câncer de próstata (CaP). A biópsia transretal da próstata é geralmente considerada um procedimento seguro, mas existem complicações associadas com a técnica. É o Câncer o mais comum do homem brasileiro.

Objetivos: traçar o perfil institucional dos pacientes submetidos à biopsia de próstata. Analisar as complicações do procedimento de biopsia.

Resultados: 
Das complicações analisadas os eventos hemorrágicos foram os mais freqüentes, 95,7% do total de complicações. (...)
(...) O uso da biópsia de próstata aumentou significativamente com a utilização do teste de PSA para câncer de próstata. A biópsia transretal da próstata é geralmente considerada um procedimento seguro, mas existem complicações associadas com a técnica, incluindo a infecção, retenção urinária aguda e hemorragia retal. (...)
(...) Em nosso estudo a taxa global de complicações pós-biópsia foi de 52,4%. (...)
(...) Nossos dados mostraram que o incidência de hematúria (globos vermelhos na urina) foi 51,4%.(...)
(...) Hemospermia (sangue no esperma) foi a segunda maior causa de complicações hemorrágicas em nosso estudo, correspondendo a 25,7% dos pacientes submetidos a biópsia. (...)
(...)Sangramento retal resultou em 18,6% das complicações, outros estudos têm relatado uma incidência que varia de 1,3% para 37,1% dos pacientes biopsiados (20, 28, 29). (...)
(...)Dados recentes coletados após biópsia da próstata sugerem que até 36,3% dos homens submetidos ao procedimento podem desenvolver hematospermia (sangue no esperma) pós-procedimento (29). (...)

Referências:
20. Naughton CK, Ornstein DK, Smith DS, Catalona WJ. Pain and morbidity of transrectal ultrasound guided prostate biopsy: a prospective randomized trial of 6 versus 12 cores. J Urol. 2000 Jan;163(1):168-71.
28. Djavan B, Waldert M, Zlotta A, Dobronski P, Seitz C, Remzi M, et al. Safety and morbidity of first and repeat transrectal ultrasound guided prostate needle biopsies: results of a prospective European prostate cancer detection study. J Urol. 2001 Sep;166(3):856-60.
29. Berger AP, Gozzi C, Steiner H, Frauscher F, Varkarakis J, Rogatsch H, et al. Complication rate of transrectal ultrasound guided prostate biopsy: a comparison among 3 protocols with 6, 10 and 15 cores. J Urol. 2004 Apr;171(4):1478-80; discussion 80-1.

Minha opinião:
- As biopsias só devem ser receitadas, quando há realmente necessidade. Ou seja, nunca com apenas uma única análise ao PSA-Total, não devendo ser nunca ignorado os valores do PSA-LIVRE, para o diagnóstico da possível biopsia.
Portanto, ATENÇÃO! Os valores do PSA variam. Faça sempre mais que 2 análises para garantir um diagnóstico mais conclusivo.
Homens, tomem nota: Nunca autorizem uma biopsia baseada em valores de apenas 1 análise ao PSA.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Inquéritos, Testemunhos SSP3-Forte


Testemunhos dos resultados do SSP3-Forte escritos pelos próprios utilizadores.







































quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Remédios (fármacos) que Podem Causar Impotência Sexual




Remédios de farmácia (fármacos/drogas medicamentosas) que podem causar impotência Sexual e/ou diminuição da Libido. 


Aqui incluem-se medicamentos para a Próstata normalmente receitados
O que causa impotência em um homem pode não afetar outro homem.

Se você acha que um medicamento está a ter um efeito negativo no seu desempenho sexual, fale com o seu médico. Nunca pare de tomar qualquer medicamento sem primeiro falar com o ele.
Alguns medicamentos podem levar a reações potencialmente fatais se não forem cuidadosamente e lentamente interrompidos ou alterados.

O que se segue é uma lista de medicamentos e drogas sem receita que podem causar impotência nos homens :

Antidepressivos e outros medicamentos psiquiátricos :
• Amitriptyline (Elavil)
• Amoxapine (Asendin)
• Buspirone (Buspar)
• Chlordiazepoxide (Librium)
• Chlorpromazine (Thorazine)
• Clomipramine (Anafranil)
• Clorazepate (Tranxene)
• Desipramine (Norpramin)
• Diazepam (Valium)
• Doxepin (Sinequan)
• Fluoxetine (Prozac)
• Fluphenazine (Prolixin)
• Imipramine (Tofranil)
• Isocarboxazid (Marplan)
• Lorazepam (Ativan)
• Meprobamate (Equanil)
• Mesoridazine (Serentil)
• Nortriptyline (Pamelor)
• Oxazepam (Serax)
• Phenelzine (Nardil)
• Phenytoin (Dilantin)
• Sertraline (Zoloft)
• Thioridazine (Mellaril)
• Thiothixene (Navane)
• Tranylcypromine (Parnate)
• Trifluoperazine (Stelazine)

Medicamentos anti-histamínico (certas classes de anti-histamínicos também são utilizados para tratar a azia):
• Cimetidine (Tagamet)
• Dimenhydrinate (Dramamine)
• Diphenhydramine (Benadryl)
• Hydroxyzine (Vistaril)
• Meclizine (Antivert)
• Nizatidine (Axid)
• Promethazine (Phenergan)
• Ranitidine (Zantac)

Medicamentos de pressão arterial alta e diuréticos
• Atenolol (Tenormin)
• Bethanidine
• Bumetanide (Bumex)
• Captopril (Capoten)
• Chlorothiazide (Diuril)
• Chlorthalidone (Hygroton)
• Clonidine (Catapres)
• Enalapril (Vasotec)
• Furosemide (Lasix)
• Guanabenz (Wytensin)
• Guanethidine (Ismelin)
• Guanfacine (Tenex)
• Haloperidol (Haldol)
• Hydralazine (Apresoline)
• Hydrochlorothiazide (Esidrix)
• Labetalol (Normodyne)
• Methyldopa (Aldomet)
• Metoprolol (Lopressor)
• Nifedipine (Adalat, Procardia)
• Phenoxybenzamine (Dibenzyline)
• Phentolamine (Regitine)
• Prazosin (Minipress)
• Propranolol (Inderal)
• Reserpine (Serpasil)
• Spironolactone (Aldactone)
• Triamterene (Maxzide)
• Verapamil (Calan)

Entre os medicamentos anti-hipertensores, tiazidas são a causa mais comum de ED, seguido de beta-bloqueadores. Alfa-bloqueadores são, em geral, menos susceptíveis de causar este problema.

Medicamentos para a doença de Parkinson:
• Benztropine (Cogentin)
• Biperiden (Akineton)
• Bromocriptine (Parlodel)
• Levodopa (Sinemet)
• Procyclidine (Kemadrin)
• Trihexyphenidyl (Artane)

Quimioterapia e medicamentos hormonais:
• Antiandrogens (Casodex, Flutamide, Nilutamide)
• Busulfan (Myleran)
• Cyclophosphamide (Cytoxan)
• Ketoconazole
• LHRH agonists (Lupron, Zoladex)

Outros medicamentos:
• Aminocaproic acid (Amicar)
• Atropine
• Clofibrate (Atromid-S)
• Cyclobenzaprine (Flexeril)
• Cyproterone
• Digoxin (Lanoxin)
• Disopyramide (Norpace)
• Estrogen
• Finasteride (Propecia, Proscar, Avodart)
• Furazolidone (Furoxone)
• H2 blockers (Tagamet, Zantac, Pepcid)
• Indomethacin (Indocin)
• Lipid-lowering agents
• Licorice
• Metoclopramide (Reglan)
• NSAIDs (Ibuprofen, etc.)
• Orphenadrine (Norflex)
• Prochlorperazine (Compazine)
• Pseudoephedrine (Sudafed)

Analgésicos opiáceos (analgésicos)
• Codeine
• Fentanyl (Innovar)
• Hydromorphone (Dilaudid)
• Meperidine (Demerol)
• Methadone
• Morphine
• Oxycodone (Oxycontin, Percodan)

Drogas recreativas:
• Alcohol
• Amphetamines
• Barbiturates
• Cocaine
• Marijuana
• Heroin
• Nicotine

Referências: 
David Zieve, MD, MHA, Medical Director, A.D.A.M. Health Solutions, Ebix, Inc., and Louis S. Liou, MD, PhD, Chief of Urology, Cambridge Health Alliance, Visiting Assistant Professor of Surgery, Harvard Medical School.
Browse the Encyclopedia

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Causas da HBP ( aumento benigno da Próstata)

Causas da HBP

Normalmente, as causas, são deficiências nutricionais no nosso organismo, que aparecem com a idade e/ou com os abusos que fazemos. Quem lhe disser que é por causa da Testosterona... não sabe bem o que diz!
Essas deficiências (crónicas) podem ser supridas pelos nutrientes em falta. Por isso se criou a formula nutricional e sinergética do "SSP3-Forte", que contém tais nutrientes. Ele ajuda a resolver eficazmente o problema da HBP, pode ter a certeza.


Agora vou explicar porque se criou este suplemento nutricional  "SSP3-Forte, Prostate & Virility Formula" e porque tanto se tem divulgado a todos os homens que sofram de HBP:

- É muito simples...PORQUE É EFICAZ !
E tudo o que possa aumentar a qualidade de vida num homem com HBP, é sempre muito bem-vindo. 

Passo a explicar:
- Se sofre de HBP ou HPB, vulgarmente conhecido pela próstata aumentada, a medicina convencional (aquela que mais conhecemos) não lhe dá muita escolha.
O tratamento normal é com remédios químicos (fármacos) que lhe podem tirar a sua masculinidade e virilidade ou com uma operação horrível que se chama "Ressecção TransUretral da Próstata" (TURP). Por vezes chama de “raspagem à próstata”.

Deixe-me contar-lhe o que é (porque nenhum médico lhe vai contar), para que possa saber porque é que a deve evitar até ter tentado todas as opções oferecidas pelas Medicinas Alternativas ( eu prefiro a Nutricional, por ser a melhor para problemas crónicos como a Hipertrofia Prostática Benigna ).

Instrumentos que cortam tecido são introduzidos pela uretra acima até chegar à próstata.
Uma vez aí, as zonas hipertrofiadas da próstata são cortadas.
A ideia de cortar um órgão, fatia a fatia sanguinolenta, sempre me horrorizou.

Os pacientes que passaram por isto sabem claramente que o período pós-operatório também não é coisa fácil.

Há uma tendência para sangrar e perder fluidos e as infecções pós-operatórias aparecem quase de certeza .

Pode ficar surpreendido ao saber que, segundo vários estudos, até a expectativa de vida diminui - em grande parte devido a um aumento de mortalidade cardíaca.

O desempenho sexual também fica comprometido chegando mesmo à impotência total.
A incontinência é, ainda, outra das consequências frequentes; ter de ficar a usar fralda para o resto da vida, já pensou?

... E não acaba aqui. Alguns efeitos secundários a longo prazo, colectados estatisticamente, incluem:
• Incontinência urinária em 5 por cento dos pacientes e impotência permanente em 10 por cento.
• A maioria dos pacientes pós-TURP sofrem de "ejaculação inversa" (O sémen vai para dentro e não para fora). O que certamente afecta a fertilidade masculina.
• E 70 por cento dos que sofrem de ejaculação inversa também sofrem de diminuição ou mudança na intensidade do orgasmo.
• Pior de tudo é que, depois de tudo isto, a TURP não é o tratamento definitivo. Nem existe tal tratamento, porque a HBP é um problema crónico. A TURP apenas pode aliviar temporariamente os sintomas da HBP.

Não é intenção deste texto assustá-lo ou alarmá-lo!
O que se pretende é avisá-lo para estes fatos que podem ser evitados e poupar-lhe muitas situações desagraveis, por vezes permanentes para o resto da vida.

Pense por um momento sobre o resto da sua vida se estiver no grupo com sintomas!
Mas, estas preocupações não têm que lhe dizer respeito. Porque, utilizando uma alternativa nutricional e natural, uma próstata hipertrofiada pode quase sempre ser controlada sem cirurgia. Portanto, pode evitar a TURP.
A 1ª atitude é pela alteração de alimentação e de seu estilo de vida diária. ( se quiser saber como, comente e pergunte-me.)
A 2ª é usar diariamente o suplemento “SSP3-Forte, Prostate & Virility Formula”. Ele pode fazer muito por si, tal como tem feito por muitos homens na Europa.

Em caso de dúvidas, pergunte ao médico sobre a TURP. Pergunte se ele se deixava operar à HBP sabendo que há outras Alternativas melhores, mais eficazes e não dolorosas (como o SSP3-Forte).

Na minha opinião, até é melhor consultar sempre mais do que um médico, para assim poder chegar a uma conclusão mais fiel. Nunca fique com uma única avaliação, quer no consultório quer nos exames.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Problemas de Próstata e as Gorduras Alimentares boas


A “Big Pharma”  (a Indústria Farmacêutica) está provavelmente  esperando que estes últimos resultados de investigação não façam as manchetes dos jornais revistas ou noticiários.

Pesquisadores revelaram que o segredo para reduzir seu risco de morrer de câncer de próstata - e outras doenças - pode ser tão simples como fazer algumas pequenas trocas de alimentos:
" Homens com câncer de próstata pode melhorar significativamente suas chances de sobrevivência com uma simples mudança em sua dieta. "

O fato triste é que esta notícia potencial salva-vidas , provavelmente, não chegou às manchetes, mas a verdade é que esta é uma grande notícia que os homens em todo o mundo precisam saber .

Gorduras boas contra gorduras prejudiciais

Para começar, toda a "guerra contra a gordura" foi um erro enorme. Temos certeza que ninguém ficou mais saudável ​​por causa disso ... se alguma coisa,  talvez exatamente o oposto.
Isto porque nunca se informava que há gorduras que o nosso organismo precisa, que são as gorduras boas e as que são dispensáveis, apesar de estarem nos alimentos e que só são más quando ingeridas em excesso ou constantemente.
Tudo era colocado como mau, Hoje sabe-se que se estava bem longe da verdade!

Mas se você tem câncer de próstata, indo junto com este dogma de baixo teor de gordura, pode colocar sua saúde ainda em maior risco. Porque as gorduras não são todas iguais.

Se um medicamento (fármaco)  oferecesse o tipo de resultados que os investigadores encontraram com estas mudanças simples na dieta , bem, você pode imaginar o que aconteceria . Os benefícios dessa droga de medicamento estariam fazendo manchetes em toda a impressa e TV e as páginas dos blocos de receita dos médicos estariam voando numa velocidade recorde.

No entanto, aqui está uma forma de melhorar significativamente as suas chances com câncer de próstata que são simples, não têm efeitos colaterais  e que qualquer um pode começar agora .

Pouco ou nada se ouve ou se ouviu falar disto. Então eu  resolvi traduzir este estudo e falar sobre ele aqui, porque acho indispensável que todos saibamos como a nutrição é um importante muito de tratamento e cura, sobretudo nas doenças crônicas degenerativas.

Os pesquisadores descobriram que, aqueles homens que substituíram por  algumas gorduras vegetais saudáveis ​​(incluindo nozes) alguns carboidratos como batatas, massas, arroz branco, feijão e grão,  todos os dias, os  homens  que tiveram câncer de próstata, apresentavam " risco muito marcante " de não morrer por causa desta doença .

E os valores dessas substituições por  “gorduras saudáveis” eram muito pequenas.

A melhor parte é que você não tem que mudar toda a sua dieta e passar a comer somente nozes e galhos mergulhados em azeite, ou algum alimento raro que  você não consegue sequer pronunciar .

Ao substituir apenas 10 por cento das calorias de carboidratos por uma boa gordura vegetal (azeite, por exemplo) , os pesquisadores definiram um risco 26 por cento menor de morrer de qualquer doença. Ou seja,  o seu sistema imunológico fica mais fortalecido e combate mais eficazmente qualquer doença.

Melhor ainda, eles descobriram que,  substituindo apenas  10% da gordura animal por  gordura vegetal  em sua dieta,  estava associado a uns fantásticos 34 por cento de menor risco de morrer  de doenças.

 O investigador principal do estudo deu alguns exemplos. Podem não parecer excessivamente emocionantes, vamos falar de alguns mais comuns. Você não tem que se tornar um vegetariano ou começar a ingerir bebidas de cor verde três vezes por dia...

Aqui está o que eles, os investigadores, sugeriram para você começar:

• Substituir uma meia xícara de arroz branco ou espaguete com salada coberto com uma colher de sopa de azeite.

• Em vez de uma batata, tem metade de um abacate. Comer mais peixes gordos, como a sardinha e o salmão.

• Substituir o feijão por batata-doce. Comer mais crucíferas. Mais sopas sem batatas e com azeite.

As descobertas mais notáveis ​​ no estudo foi que, aqueles  homens que comiam mais quantidade de gordura vegetal – incluindo azeite, nozes, avelãs,  amêndoas, castanha do Pará ( nada de amendoins)  - após seu câncer ter sido diagnosticado , eles desenvolveram  um risco 36 por cento menor de morrer da doença do que o grupo que comeu menos quantidades dessas gorduras boas.

Os pesquisadores concluíram que estes óleos vegetais saudáveis ​​"gorduras das sementes” baixam os níveis de insulina e o colesterol prejudicial (LDL) e também aumentam a sua ingestão de antioxidantes. Ora, tudo isto é muito importante para o bom funcionamento do sistema imunológico.

As gorduras trans (encontradas na margarina e em outros alimentos processados) , por outro lado , teve o resultado oposto. Na verdade, os homens que consumiram um mero 1% de calorias provenientes de carboidratos com gordura trans, aumentaram o seu risco de morrer em 25 por cento!

Este tipo de aditivo é uma substância inventada pelo homem, chamado de “óleo parcialmente hidrogenado " muito utilizado nos alimentos embalados industrialmente, é feita por alterar quimicamente gordura por uma razão - para aumentar o prazo de validade do produto. 
O pior é que pode encurtar seu ...



Fontes:
“Men with prostate cancer should eat healthy vegetable fats” Elizabeth Fernandez, UCSF press release, ucsf.efu
“Vegetable fat linked to longer life for prostate cancer patients” Daily Health News