domingo, 15 de julho de 2018


10 Atitudes para prevenir problemas na próstata

Os problemas na próstata afligem a maioria dos homens normalmente depois dos 40 anos. 
A glândula aumenta (tecnicamente chamada de hiperplasia prostática benigna) e isso pode causar maior frequência miccional (o homem urina mais vezes) e problemas com o jato da urina. Outros sintomas prejudiciais: não dormir bem porque está sempre a se levantar para ir urinar, desempenho sexual fraco, impotência ocasional e/ou ereções fracas.
Mais gravemente, essa glândula também pode ficar propensa a problemas cancerígenos.

Mas todos os homens podem ter várias atitudes diárias para manterem as suas próstatas em boa saúde, tanto agora quanto no futuro.

1ª Atitude: comer 3 castanhas-do-pará por dia, é o suficiente.

A castanha é rica em selênio, um mineral protetor, o selénio. A castanha-do-pará é a melhor fonte – uma única contém 75 mcg.

2ª Atitude: com o parecer do seu médico, reveja os medicamentos que está tomando.

Homens que desenvolvem problemas miccionais devem pedir a seus médicos que revejam os medicamentos receitados para outros problemas. Um estudo concluiu que diversos medicamentos – inclusive para a hipertensão, para a depressão, para as alergias, diuréticos e outros – contribuem para os sintomas prejudiciais do trato urinário inferior (LUTS) em homens. Antes de começar um tratamento para dificuldades miccionais, pergunte ao seu médico se mudanças na sua medicação atual poderiam resolver este problema.

3ª Atitude: juntar a ameixeira-africana (Pygeum africanum) e outras.

O extrato da casca dessa árvore perene pode ajudar a diminuir a próstata aumentada (HPB). Na Europa, tornou-se um dos ingredientes mais utilizados, em conjunto com outros também de origem natural, para tratar essa doença. A ameixeira-africana é rica em fitoesteróis anti-inflamatórios, os quais podem ser a origem de sua eficácia. Outras plantas medicinais importantes, sinergéticas com o Pygeum africanum e que, comprovadamente, são benéficas para a saúde da próstata são a Serenoa repens e a Urtica dioica.

4ª Atitude: coma sementes de abóbora.

As sementes da abóbora são muito ricas em zinco, mineral que os especialistas sabem que é fundamental para a boa saúde da próstata, protegendo do aumento e das alterações cancerígenas. Coma um punhado de sementes cruas por dia.

5ª Atitude: coma mais Salmão, Cavala, Bacalhau e Sardinha.

Um estudo mostrou que uma dieta rica em gordura (EFAs - ácidos gordos essenciais) com suplementos (em cápsulas) de óleo de peixe de oceanos de água fria, pode ajudar a proteger de inflamações e do carcinoma de próstata. O óleo de linhaça é outra excelente fonte de ácidos graxos essenciais.

6ª Atitude: coma tomate todos dias e frutos vermelhos.

O licopeno, que confere a cor vermelha ao tomate e aos frutos vermelhos, é um poderoso anti-oxidante que pode prevenir e interferir na capacidade das células cancerígenas de se multiplicarem, espalharem-se e invadir os tecidos do organismo. Tomates enlatados e cozidos, bem como os molhos de tomate, parecem ter o efeito anticancerígeno mais potente.

7ª Atitude: um banho diário de banheira também ajuda.

Tomar um longo banho na banheira faz bem à próstata, reduzindo o inchaço e a inflamação. Portanto, relaxe na banheira com um bom banho de imersão durante 20 a 40 minutos por dia.

8ª Atitude: coma diariamente alimentos que fazem bem à próstata e evite os que fazem mal.

Um modo de prevenir diariamente os problemas de próstata e ter constante cuidado com certos alimentos e comer frequentemente os que fazem bem à saúde da próstata.
Alimentação que trata e protege a Próstata, para ler clique neste link:

9ª Atitude: tome diariamente um suplemento alimentar nutriterápico especialmente concebido para proteger, prevenir e, também, tratar a próstata quando ela está aumentada (HPB).

Como é bem difícil ter disponível e comer todos estes alimentos sem falhas e todos os dias, use o suplemento nutriterápico natural “SSP3-Forte”, dá resultado e não tem efeitos colaterais.
A sua fórmula é composta pelos ingredientes em cima mencionados, como o Zinco, o Selénio, as Sementes de Abóbora, o Pygeum africanum e outros (mais quatro ingredientes naturais), todos indispensáveis á boa saúde da próstata.
Há mais de 20 anos no mercado Europeu, SSP3-Forte é a melhor alternativa aos fármacos para tratar a HPB, normalizando o PSA, o tamanho da próstata e a mantê-la funcional e saudável, o que irá melhorar também o seu desempenho sexual.
É importante salientar que a prevenção e o tratamento pela Medicina Nutricional dos problemas da próstata, deve ser holístico, quer dizer, por INTEIRO, COMPLETO.
Como tal, em conjunto com o SSP3-Forte, deve evitar café ou bebidas com cafeína, álcool (sobretudo cerveja), leite e refrigerantes. Tudo isto é mau para a saúde da sua próstata e, também, da sua bexiga. O leite pode ajudar a desenvolver doença cancerosa, segundo estudos da faculdade de Medicina Pública de Harvard. Não fumar e fazer exercício físico também ajudará muito.
Pode ler mais sobre o nutriterápico natural SSP3-Forte, clicando neste link:

10ª Atitude: não fume e faça exercício físico.
Não ter uma vida sedentária, fazer exercício físico, manter o peso e a gordura à volta da cintura dentro dos níveis considerados normais para a boa saúde, é muito importante.
Saiba que a medida máxima da cintura (perímetro), com a fita métrica a passar por cima do umbigo, não deve ultrapassar os 94 centímetros nos homens.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

O exame do PSA


O exame de PSA no Diagnóstico da Doença Cancerosa na Próstata.
O PSA (obtido por análise ao seu sangue) não diagnostica a doença. É apenas um indicador. Ele estratifica o risco de maneira que, quanto maior o seu valor (principalmente a partir de 2,5 ng/ml), maior a probabilidade de um problema existir, sobretudo se o outro PSA, o PSA-Livre estiver abaixo dos 20%, na sua proporção como PSA -Total.
É preciso compreender que fazer o exame não significa indicar biópsia para todos que apresentarem resultados alterados, muito menos recomendar tratamento para todos que tiverem o diagnóstico comprovado.
Cada situação é um caso. E cada caso deve ser avaliado individualmente.
Em fases iniciais e em tumores com perfil de baixa agressividade (escala de Gleason grau 6 ou inferior), a doença cancerosa de próstata pode ser apenas acompanhada, ou seja, sem haver intervenção cirúrgica.

- Se tem interesse em saber como pode prevenir e manter o PSA em níveis normais, clique neste link para receber mais informações:


Próststa aumentada, medicamentos utilizados normalmente


Próstata: Principais medicamentos fármacos normalmente utilizados

O tratamento para a próstata aumentada (HPB ou HBP) geralmente é iniciado com o uso de medicamentos fármacos que ajudam a aliviar os sintomas e evitar complicações como retenção urinária ou pedras nos rins, por exemplo.

Alguns dos remédios químicos-sintéticos (fármacos) mais receitados pelo urologista incluem:
  1. Remédios para relaxar os músculos da próstata, como alfa-bloqueadores onde se incluem tansulosina, alfuzosina, doxazosina e silodosina;
  2. Remédios para reduzir os hormônios masculinos (sobretudo a testosterona)  e diminuir o tamanho da próstata, como a finasterida e dutasteride;
  3. Antibióticos para diminuir a infeção da próstata (prostatite bacteriológica) caso exista, como a ciprofloxacina.

Estes medicamentos podem ser utilizados em separado ou em combinação, dependendo dos sintomas apresentados e do tamanho da próstata. O medico decidirá.

O problema destes medicamentos químicos sintéticos normalmente receitados, referidos no ponto 1 e 2, são os seus efeitos colaterais nos homens, prejudicando a sua virilidade e a sua masculinidade. Agem como castradores químicos, diminuem a libido, causam impotência sexual, ejaculação retrógrada, ginecomastia (desenvolvimento anormal das mamas nos homens), entre muitos outros efeitos colaterais. Basta ler a bula deles para confirmar o que aqui escrevo.
Outro problema é que estes medicamentos apenas aliviam os sintomas, não tratam o problema porque não atuam nas causas diretas da HPB.
Como existem alternativas nutriterápicas naturais sem estes problemas adversos, sempre indico aos meus pacientes o suplemento nutriterápico “SSP3-Forte”, que funciona muito bem e não tem estes efeitos colaterais porque é um nutriterápico natural.
Na minha opinião, mais de 20 anos de experiência, é a melhor alternativa aos fármacos para tratar a HPB, normalizando o PSA, normalizando o tamanho da próstata e manter a sua próstata saudável. Muitos homens têm resolvido e evitado a cirurgia à HPB tomando o SSP3-Forte com regularidade.
Pode ler mais sobre o SSP3-Forte clicando neste link:

- Saiba o que os utilizadores dizem do SSP3-Forte, publicado na Internet, clique neste link:

- Veja os Inquéritos Clínicos aos próprios utilizadores, aqui neste link:

O que pode diminuir o tamanho do Pénis.


O tamanho do pénis pode diminuir? A resposta é sim e a urologia revela como isso pode acontecer.


A diminuição do pénis é uma condição ligada principalmente a fatores que dificultam ou impedem a ereção, como o hábito de fumar, a diabetes, as doenças circulatórias pois elas acabam reduzindo a oxigenação da região. Fora isso, a urologia informa que há outros fatores que podem fazer o  tamanho do pénis  diminuir. Continue lendo para saber quais.

O que pode diminuir o tamanho do pénis? 
Conforme explica a urologia, essa alteração de tamanho do membro pode ocorrer tanto devido a doenças como de medicamentos e até procedimentos cirúrgicos. Alguns deles são:
  • O tratamento medicamentoso para disfunção erétil via oral ou por injeções a longo prazo; 
  • Processos inflamatórios crônicos que ocasionem fibrose peniana, como a doença de Peyronie, que começa a deixar o membro torto; 
  • Efeito colateral de algumas técnicas cirúrgicas empregadas para corrigir tortuosidade peniana (doença de Peyronie);
  • Efeito colateral de alguns medicamentos, por exemplo, os medicamentos para a hipertensão, para tratar a HPB (próstata inchada), entre outros;
  • O tratamento do carcinoma de próstata seja ele cirúrgico ou radioterápico. 
O avanço da idade pode  influenciar no tamanho do pénis?
Além dos fatores citados, outra dúvida comum é se o membro diminui conforme o homem vai envelhecendo. Segundo a urologia, isso é, sim, uma possibilidade, já que, com a idade,  a produção de testosterona e a frequência de ereções diminuem, afetando o fluxo sanguíneo no órgão. Como consequência, as ereções tornam-se menos rígidas e o pénis passa a ter uma distensão menor (ou seja, já não aumenta tanto quanto antes, quando o homem fica excitado sexualmente).
Com o envelhecimento, pode ocorrer uma considerável diminuição. Costumo dizer aos pacientes que o sexo, assim como toda atividade física, necessita de preparo e treino. Isso significa que o pénis sem uso acaba atrofiando. O mesmo vale para a saúde da próstata; ejacular pelo menos 5 vezes por semana ajuda a mantê-la funcional e saudável.
O cigarro, as drogas e alguns medicamentos também podem ajudar a diminuir o pénis.
De acordo com os especialistas em urologia, o tabagismo também é um fator que pode, devido a seus efeitos colaterais, diminuir o pénis. Isso ocorre porque fumar pode levar a pessoa a ter problemas circulatórios que, por sua vez, afetam a capacidade de ter ereções e, como o especialista explicou, a falta atividade sexual pode atrofiar o membro. E não é só o cigarro convencional que pode acarretar essas consequências.
Aqueles que fumam drogas psicotrópicas, especificamente, a relação está na dificuldade em se obter e manter a ereção peniana e, esse quadro, pode perdurar mesmo com a interrupção do uso destas drogas. É importante ter claro que o uso frequente (ou crónico) destas drogas também podem interferir diretamente na fertilidade, segundo os especialistas em urologia.
O uso de fármacos (que são medicamentos químicos-sintéticos) como frequência ou em excesso também é um hábito que está relacionado à dificuldade em manter a ereções (além, é claro, de poder gerar vários problemas de saúde, devido aos efeitos colaterais que os fármacos sempre têm).
Como prevenir a diminuição do pénis? 
A dica que o especialista dá para evitar que o tamanho do pénis  vá diminuindo com o tempo é cuidar da saúde de maneira geral. Para isso, aconselha-se prestar bastante atenção na alimentação para evitar doenças como a diabetes, não deixar de lado a prática de exercícios físicos aeróbicos que estimulam a circulação sanguínea, manter uma vida sexual saudável e ativa para "exercitar" o membro, manter a saúde da próstata (o nutriterápico natural “SSP3-Forte”, como suplemento diário, ajuda bastante), não fumar, evitar as bebidas alcoólicas e, é claro, consultar um urologista ao menos uma vez ao ano para os exames de rotina da próstata. Não se esqueça que este órgão faz parte do sistema reprodutor masculino; quando ele não está bem de saúde, nada funciona bem.
Informação dos alimentos bons para apróstata e os alimentos prejudiciais, para ler clique neste link: