quarta-feira, 28 de julho de 2010

1 - A SUA PRÓSTATA, O QUE É E COMO ELA FUNCIONA

Apesar de que o funcionamento da próstata continua a ser um mistério para a maior parte dos homens (até médicos), provavelmente tem pelo menos uma ideia vaga de que a sua capacidade de funcionar sexualmente, a sua competência urinária e a sua capacidade de procriar, dependem todas deste órgão. No entanto, por ser tão pequeno, pode achar difícil acreditar que tenha um papel tão importante na sua vida e psique - e que pode ser a causa de tantos mal-entendidos e desgostos.

Do tamanho de uma noz e pesando só 18 a 20 gramas, a sua próstata consiste numa rede de pequeníssimas glândulas dispostas em lóbulos, músculos, vasos sanguíneos e tecido conectivo, tudo envolvido por uma concha fibrosa chamada cápsula. Encontra-se entre a bexiga e a base do pénis, rodeando a uretra como se fosse um colar. Devido a esta posição, a urina levada pela uretra passa pela próstata a caminho do exterior do corpo. A parte da uretra que atravessa a próstata (como o centro de uma maçã) chama-se a uretra prostática.

Desde o momento em que se nasce (quando é do tamanho de uma ervilha) até à adolescência,. a próstata não muda muito. O crescimento é muito gradual. Mas durante a adolescência, quando o corpo começa a segregar a hormona masculina testosterona, a próstata tem um surto de crescimento dramático. Em apenas seis a doze meses, aumenta quase para o dobro do tamanho. Depois disso, o crescimento da próstata abranda. A partir dos trinta e tal anos até à idade de 45 ou 50, a próstata fica mais ou menos do mesmo tamanho.

É bastante comum a próstata começar a aumentar outra vez de tamanho mais tarde na vida, começando lentamente a ficar maior e a crescer na direcção das paredes da uretra prostática, bloqueando o fluxo de urina. Esta condição chama-se hiperplasia, ou hipertrofia benigna da próstata (HBP) e pode tornar-se séria se não for tratada. (Falarei da HBP em maior detalhe mais adiante).

A ligação sexual
As pequenas glândulas da próstata produzem um líquido que leva o sémen para fora do corpo quando se ejacula. Este líquido alimenta o sémen com enzimas, com zinco, ácido cítrico e frutose que neutralizam as bactérias e outras substâncias de importância para a protecção do esperma. É injectado para dentro da uretra no mesmo instante que o esperma passa dos testículos para a uretra. Estes dois líquidos, e outro da vesícula seminal, juntam-se na uretra e formam o líquido que é ejaculado quando se tem um orgasmo.

Ainda temos muito que aprender sobre a próstata; no entanto a sua função principal parece ser mais reprodutiva do que urinária. Uma teoria recente mantém que as prostaglandinas no fluido produzido pela próstata podem fazer com que o colo do útero de uma mulher (a abertura para o útero) dilate para que o esperma possa facilmente passar para o útero e fertilizar o óvulo. Se isto for verdade, pode explicar porque é que em alguns casos a remoção da próstata causa infertilidade no homem.

A ligação com a testosterona
A testosterona é uma hormona natural da juventude produzida pelos testículos e glândulas adrenais. Entre outras coisas, ajuda a promover ossos longos e músculos - e desejo sexual saudável. Infelizmente, a testosterona é metabolizada produzindo dihidrotestosterona (DHT), um esteróide problemático que se pensa agora seja o responsável pelo desenvolvimento de HBP e possivelmente, pelo cancro da próstata.

A conversão da testosterona em DHT é controlada pela 5-alfa redutase, uma enzima que aumenta à medida que se envelhece. Se esta acção for bloqueada, pode-se reduzir os níveis de DHT no corpo - e evitar ou até fazer regredir a hipertrofia da próstata. Este é um dos maiores factores no programa alimentar para tratar doenças da próstata.

A importância de exames físicos regulares
Todos os homens conhecem - e receiam - os sintomas das doenças da próstata:
• uma necessidade frequente de urinar - especialmente à noite.
• gotejamento
• dores ou sensação de ardor quando se urina.
• um fluxo de urina fraco, ou dificuldades em iniciar ou parar o fluxo urinário.
• dores durante o acto sexual
• incapacidade de esvaziar a bexiga completamente

Estes sintomas, que indicam retenção de urina, podem ter várias consequências, incluindo distensão da bexiga, perda de flexibilidade e deficiência renal. No entanto, o seu médico pode detectar problemas mesmo antes de aparecerem quaisquer sintomas. E é por isso que se recomenda vivamente que se façam exames urológicos assim que alguns destes sintomas comecem a aparecer.

Durante o exame à próstata, o seu médico verifica o tamanho e condições da próstata fazendo-lhe um exame digital rectal ou utilizando ondas sonoras (ultra-sons transrectais) para produzir uma imagem visual da glândula. Também pode ser examinado com um instrumento chamado um citoscópio. Outros instrumentos para a diagnose incluem um estudo do fluxo e um teste residual da urina, durante o qual um cateter é introduzido na uretra depois da micção para ver se ficaram resíduos de urina dentro.

Os médicos podem utilizar uma ou todas estas técnicas para fazer um diagnóstico.


O PSA
O teste sanguíneo do antígeno específico para a próstata (PSA) permite a detecção precoce do cancro da próstata medindo a quantidade de um certo "marcador de cancro" (que, neste caso, é um antígeno) excretado para o sangue pelas células da próstata, em quantidades consideravelmente maiores quando as células são cancerosas. (As leituras de PSA aumentam tanto para a HBP como para o cancro - um aumento repentino indicando cancro). Além do mais, o Dr. Aaron Katz (que é urologista no Hospital Presbiteriano da Columbia e chefe de urologia no Centro Atkins) produziu um teste de PSA ligado que indica se o tumor progrediu para além da glândula prostática. Os resultados são explicados utilizando outros instrumentos diagnósticos (como por exemplo os ultra-sons) e esta combinação de medições é utilizada ao longo da terapia administrada ao paciente. É um modo seguro para medir a doença e o progresso da mesma, e para verificar se o tratamento está a ser eficaz.

Por isso, meça o seu PSA regularmente. Não se deixe enganar pela linha de conduta da medicina ortodoxa que decidiu que as medições de PSA são uma perda de tempo - e dinheiro. Este raciocínio, de que os pacientes em quem se detecta cedo a doença não vivem mais tempo do que aqueles a quem a doença é detectada mais tarde, só é verdade para os pacientes que têm sido tratados com protocolos convencionais.

Faça o seu primeiro exame tão cedo como aos cinquenta e tal anos - mais cedo se tiver uma história de família de cancro na próstata ou sintomas. Se os resultados forem menos de 2,5 mg/ml de sangue, pode esperar três anos até o repetir. Se for mais do que 2,5 mg/ml, repita-o dentro de um ano. Se a medição for mais de 3,0, deve fazer um ultra-som para obter uma medida aproximada do tamanho da glândula e detectar irregularidades na estrutura da mesma.

A densidade de PSA (PSAD) - que se calcula dividindo os resultados do PSA pelo peso estimado da glândula (informação calculada pelo equipamento a ultra-sons) - indica um tumor maligno quase certo se for mais do que 0,5. Se for menos de 0,12, é improvável que seja maligno. Os valores intermédios representam a "zona cinzenta", que requer uma nova avaliação dentro de seis a doze meses.

Se o seu PSAD estiver ligeiramente elevado, o seu médico pode querer fazer uma biópsia. Pode ser útil, mas um resultado negativo não elimina a possibilidade de cancro se o PSAD for alto. Se o seu PSAD for muito alto (mais do que 15), há a possibilidade de que o cancro se tenha espalhado até aos ossos, e deve começar um programa completo imediatamente.

Muitos médicos convencionais duvidam da utilidade do PSA, mas é o marcador de tumores mais exacto que existiu até hoje.

Para ajudar a baixar o PSA , em caso de Hiperplasia Benigna da Próstata, o remédio natural SSP3-Forte é bastante eficaz e não tem efeitos colaterais prejudiciais

Nenhum comentário:

Postar um comentário